21 de agosto de 2014

Liberdade - Segundo Nelson Mandela

*

"Porque ser livre não é somente romper as correntes que aprisionam alguém, mas viver de forma a respeitar e ampliar a liberdade dos outros"
 
* print do Doodle que o Google fez em homenagem a Nelson Mandela
 
 
 

19 de agosto de 2014

Same Rights, Same Troubles!*

*Mesmos Direitos, Mesmos Problemas!

O avanço dos direitos LGBTs no Brasil, mesmo acontecendo de maneira lenta, tem sido progressiva e efetiva. Já conseguimos incuir parceiros no Imposto de Renda, no plano de saúde, na renda conjunta para adquirir casa própria, já podemos processar quem nos discrimina, em alguns lugares foram aprovadas leis anti-homofobia, o avanço mais significativo talvez tenha acontecido quando o STF decidiu que as uniões gays podiam ser convertidas em casamento, que na pratica definiu que os gays podem casar.
Foi um grande avanço para as famílias LGBT, que tiveram seu status de FAMILIA reconhecido. Mas  muita gente argumenta: "Para que vocês (os gays) querem casar? O casamento é uma instituição falida!"
 
Falida ou não, o reconhecimento das uniões gays - mesmo sem um papel que as chame de casamento - trouxe também as mesmas questões para os protagonistas, direitos e deveres, que eram exclusivos das famílias heterossexuais. Algumas histórias de amigos ou de amigos de amigos, e tenho certeza que você também sabe de algumas:
 
  • Os dois homens viveram juntos por 11 anos, um deles foi traído e terminou a relação, o que traiu ameaçou ir a justiça para pedir o direito de pensão, o que foi traído, para evitar escandalos pois é ator, deciciu entregar o pequeno  apartamento que moravam (e que ele tinha comprado e bancava)  para o que traiu, para formalizarem um pacto.
  • Dois homens tiveram um filho através de uma "barriga solidária", utilizando esperma combinado dos dois, quando se separaram - o filho tinha poucos meses - um deles resolveu fazer um teste de DNA e descobriu que o filho era, biologicamente, dele. Entrou com uma ação e impediu o outro pai - que era quem efetivamente cuidava do filho por ser profissional liberal e ter mais flexibilidade de tempo - de ver a criança. Foi preciso um processo judicial para que este pai tivesse direito a visitas.
  • Duas mulheres ficaram juntas por 9 anos, morando em casas separadas o tempo todo,  uma delas conseguiu provar na justiça que a outra tinha condições financeiras melhores que ela e que deveria bancar os mesmo luxos e mimos que recebia antes (viagens, roupas, restaurantes badalados) pois ela tinha se dedicado a relacionamento e não tinha tido tempo de construir seu patrimonio, ela receberá pensão por 9 anos
  •  
  • Um homem teve um relacionamento por dois anos com um cara bem mais novo, o relacionamento acabou e o mais novo não saiu da casa, não trabalhava, o unico jeito de conseguir que ele saisse foi bancar a passagem - e algo mais - do rapaz para os EUA, onde vai tentar a vida com imigrante ilegal...
 
Resumidamente, como diria o tio do homem aranha - "grandes poderes trazem grandes responsabilidades"... o que não invalida nem tira a premência de termos nossos direitos familiares garantidos! Só nos torna também iguais a com relação á seriedade das nossas ações! Casar, fiacar junto, cuidar, tudo isto tem que ser encarado de maneira mais séria! Talvez isto acrescente um novo tempero á estas questões de conjugalidade, talvez até mesmo o modelo dos casamentos heterossexuais precise ser revisto, talvez.
 
Se tinha algum cara que "virou" gay só para nao ter que pagar pensão ao companheiro, isto mudou! rsrsrs
 
Afinal de contas, na sua opinião, o casamento gay é uma boa ou é uma instituição que já nasceu falida?
 
 
 
 




17 de agosto de 2014

Homopater discute Profilaxia Pré Exposição

Lembram daquela notícia que a OMS tinha orientado que Homens que fazem sexo com Homens, como medida de prevenção, passassem a tomar TRUVADA? 
Em função desta discussão, e de outros desdobramentos, o Grupo Homopater, coordenado pela psicóloga Vera Moris - que reúne outros Homens, Homossexuais e Pais, vai realizar no dia 
23 de agosto, ás 15 horas, uma encontro com o Dr. Danilo Finamor, do CRT, sobre estes assuntos.

Se tiver interesse em participar entre no site do grupo e increva-se:




14 de agosto de 2014

o tal do "VOTO UTIL"

Eu não era eleitor do Eduardo Campos, não achava que ele representava nenhum tipo de mudança significativa no quadro geral de “malvadezas” que nos assola - nossa crise é de ética, de moral e de autoridade – mas não tem como não ficar chocado com o acidente, com a dor e o sofrimento das famílias e amigos das vítimas, e até ficar espantado que não tenha morrido ninguém em terra.
Entretanto, eu sou brasileiro e eu sou um eleitor em busca de candidatos, e ele era um candidato, especialmente por ter a Marina do lado dele, se bem que eu ainda não engoli direito a posição da Marina com relação aos LGBT.
Para os cargos legislativos eu sempre gostei de votar na esquerda, ou no mínimo no centro esquerda, sempre achei que eles eram mais combativos, militantes, comprometidos... mas com a vitória da máxima de que “os fins (o povo sofrido) justificam os meios (alianças com todos os corruptos do país)” eu não sei mais em quem confiar!  
Uma parte da esquerda ter se “pasteurizado” para se tornar mais “palatável” aos olhos da  classe média e do empresariado foi uma grande merda que aconteceu ao Brasil.
Um exemplo da minha perplexidade é o Senador Suplicy. Eu sempre votei no Suplicy, acho ele um cara ético, e a defesa que ele fez, durante anos, do renda mínima, foi o grande trunfo da diminuição da miséria do pais, apesar do Governo Federal “esquecer” de mencioná-lo. O Eduardo Suplicy nunca se fez palatável, nunca escondeu suas origens aristocráticas, e pelo que eu saiba nunca foi adepto dos “fins justificáveis”. Ele sempre teve posições bem claras em relação aos LGBTs. Mas me explica o que ele ainda está fazendo no PT? Aquele partido que ele fundou não existe mais, aqueles princípios, que eu também admirava, se perderam... Desculpe Suplicy, este ano você não vai levar meu voto!
 
Eu sou um eleitor LGBT. E defendo que LGBT deve votar LGBT. É este o tipo de voto UTIL que eu defendo!
Eu já votei em vários candidatos abertamente LGBT ou que tinham plataformas claras, já votei em advogado da causa gay, já votei em lésbica, já votei em Drag, já votei em Trans, já votei em gay assumido e gay no armário, mesmo que não fossem todos do mesmo partido...
Eu sei que tem gente que acha “um horror” votar em travesti, usando a #nãomerepresenta como justificativa, mas eu não tenho problema com isto, se a pessoa tiver o mínimo de articulação, de empenho, acho que muita coisa pode ser feita... teve um ano que votei no Léo Aquila por exemplo... e conversei com outros para votar nele tb, por isto percebi o preconceito...
Mas, por conta deste meu voto “militante”, meus candidatos nunca ganharam! Uóuóuó

Seria tão importante ter mais LGBTs assumidos nas câmaras, nas assembleias, no congresso... Eu acho que as coisas estão melhorando, que já temos mais alguns direitos garantidos, mas não é o suficiente!
Mas não acho que o candidato deve ter posição somente sobre a causa gay, eles tem que ter um aspecto mais amplo, tem que representar mais coisas, é isto que vai ajudar a eleger um!
 
Se eu votasse no Rio eu votaria no Jean Willys, gosto do radicalismo didático dele, e gosto que ele não seja uma unaniminidade. .  e acho muito bom ter um cara gay assumido no congresso... mas ele precisa de mais colegas, de mais ajuda para conseguir as coisas!
 
Quem tem um bom candidato LGBT ou pró LGBT em quem vai votar? Vamos fazer campanha para ele?

11 de agosto de 2014

a libertação do Dia do NÃO PAI...

Troféu de PIOR PAI DO MUNDO!
Neste domingo foi o famigerado DIA DOS PAIS... famigerado porque minha relação com meu pai é nula, como já relatei...meu pai é um "ser" altamente tóxico e desagradável... 
Mas eu sou de uma família italianada, e sabe como é... estas coisas TEM que comemorar, juntar todo mundo, ficar feliz, dar parabéns para o PAPAI... Para mim isto sempre foi uma "forçação" de barra! Minha mãe faz muita pressão para ser "carinhoso" e "agradecido" ao papai - o que já foi motivo de algumas desavenças nossas. Eu dei graças a DEUS nas poucas vezes que eu consegui escapar porque estava fora São Paulo. Mas este ano eu estava decidido a não passar por isto. Queria passar um dia feliz e tranquilo com minha filha!
Então eu me fiz de desentendido e não liguei para ninguém para perguntar se tinham combinado alguma coisa (geralmente um almoço em algum daqueles restaurantes cheios de famílias felizes), fiquei apostando que iam combinar em cima da hora, me dando a chance perfeita de arranjar uma desculpa... e foi o que aconteceu...meu irmão ligou ao meio-dia para me passar o endereço do restaurante... meu irmão é tão previsivelmente desligado! 
Nesta altura eu já tinha marcado de almoçar com minha filha e meu afilhado mais velho (que agora está morando em São Paulo em função da faculdade) e falei que não iria. (!) meu irmão ainda disse - mas você não desconfiou que iamos marcar algo? devia ter ligado e perguntado antes de marcar outra coisa!.... mal sabe ele porque não liguei.
Minha mãe ainda me ligou para fazer a básica chantagem emocional, mas eu não cedi - e realmente passei uma tarde super legal, depois de um almoço no delicioso Athenas.
Mas eu não tive uma vitória emocional completa, eu não tive "coragem" de peitar eles e dizer que não queria ir... tive uma atitude bem covardezinha e infantil, eu realmente não estava afim de comprar esta briga e não estava com saco de ouvir as recriminações habituais que me fazem...
Antes eu ficava péssimo com estas situações, eu me obrigava a elas, sempre achando que se eu fizesse a minha parte, de bom filho, ele faria a dele, mas acho que 50 anos de expectativas e experiência me ensinaram alguma coisa... foi um passo frágil, mas foi um passo... mesmo que tenha sido quase uma "traquinagem"...

Eu sei que vários amigos e amigas também tem relações horríveis com seus pais, em especial por serem homossexuais ... alguns foram expulsos de casa, outros guardam muitas mágoas por absurdos que ouviram... e para eles o dia dos pais traz muitos sofrimentos e tristeza... se eu pudesse dar um conselho, uma reflexão a eles, eu diria que eles tem que entender que não fizeram nada errado, que eles não são menos dignos do amor de seus pais, que se eles não são aceitos, não são amados, o erro é do seu pai, que não te ama como você é! Não leve este erro para dentro de seu coração achando que você fez algo errado!

E para você? Como é sua relação com seu pai? Como foi seu DIA DOS PAIS?


A inspiração para escrever este post foi a partir de um vídeo muito legal publicado pelo pessoal do PÕE NA RODA veja aqui:  Não basta ser só pai


8 de agosto de 2014

Você só morre, quando a última pessoa que lembrava de você morrer também...*


Ontem chegaram as cinzas do meu cachorrinho... depois que ele morreu eu não sabia bem o que fazer. A veterinãria sugeriu a cremação... não tenho quintal então não tinha a opção "clássica" de enterrar no quintal num caixa de sapatos... as cinzas vieram numa caixinha bonitinha, com uma linda carta de condolências do crematório especializado em pets... muito emocionante...
 
Agora não sei bem o que fazer com as cinzas... mas estou pensando em colocar uma foto na tampa e deixar guardada... ou talvez espalhar as cinzas nos vasos da casa... sei que o que vai me lembrar dele não é isto, mas é uma saudade ...
 
E saudade é bom não é?
 
* eu acho que ouvi esta frase num filme, mas na internet encontrei uma referência como sendo do escritor israelense Amós Oz : “Nós vivemos até o dia em que morre a última pessoa que se lembra de nós”.
 
 

6 de agosto de 2014

4 de agosto de 2014

uma grande jornada começa com o primeiro passo!

Este fim de semana foi o aniversário de 18 anos de minha filha!
Eu já disse,  que não ligo muito para datas comemorativas. Acho que temos muito mais vitórias e conquistas a celebrar em nosso dia a dia do que o acontece no período de um ano de vida... Mas com a única filha fazendo 18 anos não dava pra deixar passar em branco.
Fizemos uma pequena celebração em casa, só a família e amigos chegados, umas 20 pessoas.
Ela não quis fazer festa, preferiu ir numa balada para estrear sua maioridade - ela nunca quis fazer carteirinha falsa para entrar nos locais, eu sempre disse para ela que se existia a proibição existia um motivo e que podemos batalhar para mudar as leis e não descumpri-las a nosso bel prazer. Portanto ela nunca tinha ido numa balada "adulta", só em festas específicas ou matines...
E ela estreou muito bem pois a recepcionista da THE EDGE duvidou que ela tivesse 18 anos! (uhuhh) e ela deu a clássica "carteirada"...
 
É obvio e natural que eu tenha ficado muito feliz, feliz por ela ter chegado até aqui com saúde, com cabeça boa, responsável. Feliz por ela estar se tornando uma mulher que dá orgulho de ter como filha e como amiga. Feliz por eu ter feito a minha parte aparentemente bem feita... E era uma felicidade compartilhada pela avó, pela tia, e por todos presentes! Isto foi muito bom! A gente se sente feliz quando parece que a gente fez alguma coisa certa no mundo...porque é fácil a gente sentir que fez tudo errado não é mesmo?
 
Mesmo um aniversário sendo só um aniversário, o aniversário de 18 anos marca uma significativa mudança de status social no Brasil.. talvez antigamente a festa de debutantes tivese mais peso, mas este passo aos 18 anos rumo ao futuro é significativo!
Aos 18 adquirimos a entrada de um monte de lugares, um especie de convite VIP para todos os locais. Aos 18 somos donos de nosso nariz. aos 18 não vamos mais para a FEBEM pois não somos "dimenor". Aos 18 podemos comprar, assinar cheques, vender.... Viajar sem autorizção, Aos dezoito vc pode trocar sua conta teen no banco, vinculada ao cpf do pai, para uma conta somente sua... Aos 18 vc pode casar sem autorização dos pais...
Talvez os 18 anos seja estes "passo de uma longa caminhada"...
 
Eu esperei muito por meu aniversário de 18 anos! Eu tinha várias fantasias de poder cuidar da minha vida, ser independente, mas eu queria fazer 18 especialmente poder dirigir... era algo que eu queria muito! Eu me lembro que aos 12/13 eu pensava - Nossa! como está longe de eu fazer 18 anos!
Eu tinha razão! Tá longe mesmo! Já ficou 32 anos no passado!
 
E você? Tá muito longe dos sonhos de 18 anos?