15 de setembro de 2014

Você "dá conta" do quê?

Depois do meu pequeno libelo vegetariano da últma semana, que não teve a intenção de "converter" ninguém,  mas de mostrar o tipo de brincadeira que enfrentamos, me ocorre a questão do regime...
Quando digo que sou vegano há tantos anos as pessoas se espantam por eu ser gordo, pois normalmete os que seguem esta dieta tem uma certa cara de subnutridos... eu já fui assim, durante anos eu fui muito magro, com os apelidos de "pernilongo", vareta, poste, e o clássico "pau de virar tripas"... Mas nos ultimos 15 anos eu comecei a engordar, engordar...
Sem dúvida nenhuma o principal coeficiente desta equação é a tal da ansiedade, uma velha conhecida não só minha mas de muita gente, até já falei disto em alguns momentos que estava bem ansioso. Minha ansiedade não é anormal, não preciso tomar medicação para controlá-la, nem me atrapalha em nenhuma de minahs atividades (aliás, para planejar bem as coisas precisa ser um pouco ansioso), é uma ansiedade que todos tem e todos tem sua válvula de escape. A minha é a comida!
Porque eu não consigo reorganizar meus hábitos alimentares e de práticas esportivas? Conversei sobre sta certa sensação de "fracasso" com relação a isto, que, como a ansiedade é uma sensação bem desagradável. O que falta? Porque eu não "dou conta" disto?
 
(abre parenteses...
Como alguns sabem, eu faço parte do PROJETO ACOLHER, que é um Grupo de Apoio á Adoção, e eu trabalho justamente no acolhimento das novas pessoas no grupo, as que estão em processo de adoção ou pensando em adotar. Estas pessoas já chegam sabendo que a adoção de bebês é muito dificil e demorada pois, graças a Deus, e á melhoria das condições sociais,  cada vez menos crianças são abandonadas, pelo que vejo hoje a maioria das crianças abrigadas são filhos de pais e mães envolvidos com as drogas ou com crimes.
As pessoas sabem que se adotassem uma criança maior, uma criança negra ou parda, o processo talvez andasse mais rápido, mas muitas  não querem, querem o bebezinho branco, e se mostram até envergonhados por quererem isto.. constrangidas por não darem oportunidade a uma criança que está abrigada....
Eu sempre explico que o processo de adoção é um processo em que a pessoa vai em busca de seu desejo, em busca de seus sonhos, e que isto não tem nada de errado! Que um dos maiores fatores de sucesso da pessoa no processo é ela saber e entender estes desejos, e não abrir mão de seus sonhos para "acelerar" o processo. Eu sempre digo que a pessoa tem que ir em busca do que ela "dá conta", ou seja, do que ela consegue entender de seus desejos!
Mas é claro que eu faço a pessoa refletir que filho é um pouco mais amplo que um "atendimento de nossos desejos", que mesmo nos casos de filhos biológicos existem os filhos "sonhados" e os filhos "possíveis", e sempre lanço a seguinte pergunta, para refletirem: "você está casado com a pessoa que imaginava que ia se casar lá na sua adolescência?  Provavelmente não! E me diga, isto é ruim?
... fecha parenteses)
 
Eu acho que eu não "dou conta" de emagrecer porque este é um "defeito" em mim que não considero tão importante, é uma pequena falha de caráter que meu interior acredita que é aceitável.. acho que a minha armadilha psicológica pensa assim: "eu trabalho bastante, sou honesto, crio minha filha da melhor maneira que posso, não fumo, não bebo, não jogo, sou educado, todo certinho e caxias, um namorado dedicado e ainda vou ter que fazer ginastica para caramba e me privar de um monte de coisas gostosas????"
Ou seja, comer demais é uma "compensação" por eu ser certinho!
Pode rir! eu mesmo estou rindo, mas eu acho que começar a entender isto e não ficar tão encanado com estas questões talvez me ajude a melhorar! Eu estou entendendo que estas qualidades não vão desaparecer se eu nao fizer este esforço para comer menos e fazer ginastica. Talvez umdia eu esteja preparado, vou pensar como o slogan do PRO VIDA "Quando você estiver preparado você vai chegar lá"
 
E você? Do que você não "dá conta" em sua vida?

13 de setembro de 2014

12 de setembro de 2014

Um falso paradigma!

 
"Queridos vegetarianos! Se vocês estão tentando salavar os animais, porque vocês estão comendo a acomia deles?"

11 de setembro de 2014

Mais argumentos!

"Todo dia, milhares de plantas inocentes são mortas pelos vegetarianos! Ajude a acabar com a violência!
Coma Bacon!"

10 de setembro de 2014

Alguns bons argumentos



"Caros vegetarianos, até mesmo as plantas (carnivoras) acham que vocês estão errados!"

9 de setembro de 2014

Adão era vegetariano...





"EVA! isto não é uma salada!
Esta é a minha roupa suja para lavar!"

8 de setembro de 2014

Eu tenho uma camiseta destas!

"VEGETARIANOS!
Se você os cozinhar direito eles são deliciosos!"

6 de setembro de 2014

Eu num mato prá comer...

...eu como mato para viver !

Estive num festival vegano junto com minha filha e descobri esta música, da "Dupla Caipira de Reggae", muito divertida e, que se algum produtor musical mainstream descobrir, vai fazer muito sucesso com a criançada,


Eu sou vegetariano há mais de 30 anos... isto significa que, tecnicamente, levando em conta que eu me aceitei homossexual lá pelos 25 anos, eu sou vegetariano há mais tempo que eu sou Gay!
Mas as coisas estão relacionadas, uma vez que eu deixei de comer carne apenas para não matar os animais, por pura "bichice" como eu mesmo digo quando me perguntam... para que os animaizinhos não sofram.
Eu já fui vegano, bem radical, mas fui afrouxando - especialmente depois da chegada da minha filha - e hoje eu sou o que se denomina como "ovo-lacto-vegetariano". Como derivados do leite e coisas feitas com ovos. E antes que me perguntem "-Então peixe você come não é?" eu reafirmo:
Não como nada que alguém teve que morrer para eu comer!

Isto acrescenta mais um item no meu título de "especialista" em preconceito... porque vegetarianos também sofrem preconceito! 
As pessoas acham esquisito você não querer comer uma feijoada, não comer hamburguer, paella, torresminho, coxinha, camarão... No meu caso fazem uma certa cara de esfinge quando você diz que nunca comeu um chester por exemplo, porque chester nem existia há trinta anos... ou que nunca provei Javali ou Avestruz, porque naquela época não se encontravam estas carnes nas churrascarias como hoje em dia...e tem muitas outras coisas que nunca comi...
Mas as pessoas acham mais estranho mesmo é quando eu digo que gosto de carne! Apesar de não comer há trinta anos eu me lembro que achava picanha deliciosa, com aquela gordura da capa, eu nunca dispensei um bom sanduiche de "mortaNdela", adorava pizza de aliche, bife de fígado (que todo mundo detesta) e várias outras receitas que tinham carne como ingrediente.
Confesso a vocês que, em função da minha convicção (viadagem) de não agressão e não violência, não comer carne para não matar os animais, não foi muito sacrifício para mim, como seria para a maioria que precisasse, por um motivo ou por outro, deixar de comer carne... Estou com o Mr. Jay há mais de um ano e ele, volta e meia, gosta de me encher por conta disto, fazendo piadinhas e pegadinhas, mas eu já passei por isto antes e levo com bom humor.
E eu digo a mesma coisa que dizemos aos homofóbicos, defender o veganismo, e brigar para que seja aceito, não vai OBRIGAR todo mundo a ser vegetariano!
Ser vegetariano, por motivos humanitários, tem sido cada vez mais aceitável - e também por motivos ecológicos e até do ponto de vista nutricional - e é cada vez mais fácil encontrar restaurantes vegetarianos e veganos e opções sem carne nos restaurantes... A sociedade, de certa forma evoluiu nesta direção, como evoluiu em direção aos direitos das minorias como um todo...

Como pai eu nunca forcei minha filha a ser vegetariana, quando ela era pequena eu sempre servi carne em casa e nunca recriminei quando ela queria um bom macdonalds, aliás, ela só entendeu mesmo que eu não comia carne quando ela tinha uns 9 ou 10 anos... Hoje, também por questões humanitárias, e também por questão de "atitude", coisa típica de jovens adultos, ela tem comido cada vez menos carne e esta semana veio me falar :
"-Pai, agora eu entendo o preconceito que você sofre, pois ontem quando eu fui no churrasco dos amigos ninguém se conformava de eu não estar comendo carne, detestei as brincadeiras e piadinhas.."
"-É minha filha, alguns preconceitos a gente só entende mesmo quando vivenciamos.. Ser quem você é, aceitar-se, fazer escolhas, sempre trazem preconceitos a serem enfrentados..."

E você? Que outros preconceitos enfrenta?


E para quem ainda não se convenceu...veja os argumentos desta criança para não comer carne clique AQUI

http://youtu.be/R-fSjYmM_Tc